Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Escola Digital

Espaço na rede dedicado à Internet como veículo de conhecimento e aprendizagem.

Escola Digital

Espaço na rede dedicado à Internet como veículo de conhecimento e aprendizagem.

Quem chegou à idade adulta sem saber inglês e agora pretende aprender o idioma com sotaque igual ao de um americano nativo está mirando num objetivo totalmente inútil. O esforço para falar como alguém que nasceu nos Estados Unidos pode prejudicar a meta de aprendizado. “É mais realista tentar comunicar-se com eficiência. Aprender a falar perfeitamente sobre qualquer assunto, em qualquer circunstância, é quase impossível num curso", diz um professor do curso de inglês em Natal. Mas, se o objetivo é aprender inglês para ampliar as chances no mercado de trabalho, conseguir navegar sem problemas pela Internet e tirar proveito das informações que a rede oferece, ou ainda para se fazer entender no exterior, as chances são grandes.

Um adulto terá mais dificuldade para aprender do que uma pessoa que iniciar o curso mais cedo. Em primeiro lugar, o medo e a vergonha de cometer erros são maiores nos adultos do que entre os estudantes mais jovens. As pessoas mais velhas manifestam, ainda, uma tendência natural de pensar em português e depois traduzir a frase para o inglês, em vez de tentar compreender o sentido da língua. Isso prejudica a fluência e a compreensão do que o interlocutor está dizendo. Esses são alguns dos empecilhos mais encontrados.   

Se você pretende estudar inglês, considere que ter nascido no Brasil é uma vantagem. Segundo os professores do curso de francês de Goiânia, a capacidade de o brasileiro se expressar no idioma só é menor do que a dos holandeses, escandinavos e alemães. Entre os latinos, o brasileiro é o que melhor se expressa.

As dificuldades mais apontadas pelos adultos:

1)     Acompanhar o rendimento da turma e cumprir as exigências do curso;

2)     Aprender a maneira correta de pronunciar as palavras;

3)     Manter-se estimulando sem a perspectiva de utilizar o idioma no curto prazo;

4)     Não ter oportunidade para praticar a língua fora da sala de aula;

5)     Ser inibido e ter medo de expor dúvidas ou de errar diante dos colegas;

6)     Usar livros desatualizados ou que tratem de situações fora da realidade do aluno.

Eu aprendi nove idiomas. Eu sempre me divirto explorando uma nova linguagem. Eu não temo o novo idioma. Eu não tenho medo de cometer erros ou parecer estranho. Eu me sinto feliz quando eu consigo me comunicar em um novo idioma. É interessante aprender como outras culturas dizem as coisas. É uma aventura imitar novos sons. Eu me sinto como se eu fizesse parte de uma outra cultura ao menos parte do tempo. Se você encarar o seu aprendizado de Inglês como uma aventura você irá se divertir bastante. Se você se interessa por isso você irá empregar o tempo necessário para avançar de forma rápida.No meu caso, fiz um curso de inglês em Manaus , onde morava na época.

Eu não posso superestimar a importância da atitude. Mas sua atitude tem uma influência determinante na forma com que o seu cérebro cria as redes neurais necessárias para se falar bem o inglês. Pesquisas científicas mostraram que uma pessoa pode mudar as ligações cerebrais apenas pela força de vontade! Você precisa estar determinado a avançar. Você precisa estar disposto a agarrar as oportunidades. Encare o aprendizado de idiomas como uma aventura que lhe trará grandes recompensas. Mas garanta a você mesmo o tempo necessário para aproveitar essa aventura. Se você fizer isso você irá se soltar e fazer grandes progressos. Depende apenas de você.

Mas força de vontade e atitude positiva não serão o bastante. Você vai precisar de muita exposição ao Inglês. Eu não me refiro ao estudo de gramática em livros ou respondendo questões artificiais. Ou até mesmo passar tempo em conversas com nativos do idioma ou em conversas em clubes de conversação. Você precisa enriquecer o seu Inglês. Para isso é necessária muita exposição, muito input. Escutar música, ler contos, ver filmes ou fazer um curso de inglês em Florianópolis , por exemplo. Você precisa ouvir todos os dias. Você precisa ler todos os dias. Você precisa escutar e ler conteúdos em Inglês que sejam interessantes ou familiares para você. Este constante input é necessário para fortalecer as ligações responsáveis pelo aprendizado do Inglês em seu cérebro. A maioria das pessoas que estão estudando Inglês não ouve e lê o necessário. Algumas passam apenas uma ou duas horas por semana em contato com o idioma. Isso não é o bastante. Você precisa estar em contato com o idioma ao menos uma ou duas horas por dia!

Atualmente, você tem rádio, TV, MP3 players, Minidisk players, CD players, audio-books, e a Internet. O inglês está em todos os lugares. Escolha ouvir coisas que você gosta. Ouça coisas do seu interesse. Não importa se você está interessado (a) em comida ou finanças, carro ou computadores, hobbies ou história, viagens ou negócios, esportes ou ciência. Reserve um tempo para ouvir e ler em Inglês sobre assuntos que façam sentido para você. Se o conteúdo é interessante e familiar, você irá aprender de forma mais eficiente.